Blog do Mauro Beting

Podem mais. Cruzeiro 1 x 1 Flamengo. 

Mauro Beting

Mano e seu Cruzeiro jogaram o melhor futebol do país no começo do ano. Quando perdeu o MG-17, já não era o mesmo. E nunca foi igual nesse Brasileiro imenso, por vezes insano, quase sempre intenso. Normalmente instável. 
Zé Ricardo e seu rico Flamengo nunca jogaram o esperado. Nem na conquista do RJ-17, certamente não na eliminação precoce no grupo complicado da Libertadores, nem mesmo quando chegou mais próximo do líder do BR-17. Falta algo. As antigas incursões de Arão, talvez. O tão cobrado passe mais precioso de Diego. Laterais mais contundentes. Bolas mais trabalhadas que cruzadas. Ter mais paciência quando enfrenta times bem posicionados defensivamente como o de Mano. 
Falta algo ao Cruzeiro. Falta algo ao Flamengo. O bom clássico no Mineirão mostrou. Mais que um ponto, as equipes parecem ter mesmo perdido dois. 
O Flamengo tem que se inspirar em Everton. Não o Ribeiro, que está se soltando e jogando melhor. Mas no que sempre é sacado das escalações ideais. E sempre fica no time. Não, não é Márcio Araújo. É o Everton mesmo. Faz os gols que os muitos artilheiros da Gávea nem sempre marcam. E tecnicamente é também taticamente  cumpre bem pela esquerda. Sem badalação e nem bajulação. Faz o dele. 

O problema é que outros nem sempre fazem. Como o Cruzeiro que ainda não achou seu time e seu jogo. Depende demais da inspiração de Thiago Neves, de boa apresentação. Sente saudade de Arrascaeta. E, ao apostar pela velocidade de Élber e Alisson, soube criar problemas ao Flamengo. Ainda que sem a melhor solução ao próprio Cruzeiro. Time que muitas vezes se perde na bola cruzada como no gol de Everton. Equipe que até sabe o que precisa fazer. Mas não faz. 

O empate acabou justo. Mas com o gostinho de que é preciso mais para ambos.