Blog do Mauro Beting

América para os americanos. Vamos sair do armário com nossas camisas.

Mauro Beting

Maravilhoso ver o América de volta à turma de cima (não a ''elite'') do futebol do Rio. Lindo ver o amigo Alex Escobar celebrando no gramado o acesso do clube e o acesso de alegria dele e do pai que o acompanhou ao estádio.

Como foi a alegria inebriante do Trajano quando o América chegou a uma decisão de Taça Guanabara, em 2006. Entrou até pelos ares na ESPN como se estivesse na Tijuca até de madrugada. Como provavelmente ficou. E como. E bebo. E celebro.

É isso. Alex e Trajano são como tantos. Torcedores. Só fazem o que muitíssimo bem fazem por serem torcedores. Apaixonados.

Fica mais fácil até trabalhar quando se torce por quem poucos torcem. E muitos se identificam. No caso, não tem como não achar linda a camisa do América. A cor do América. A paixão do América. O amor do Alex e do Zé.

Só torço para que outros torcedores entendam quando nós torcedores saímos do armário com nossas camisas que nos levaram ao jornalismo futebolístico. Estou há 27 anos aqui por estar no mundo há 51 como palmeirense.

Não defendo que sejamos clubistas. Clubismo não é assumir o time pelo qual torcemos. Clubismo é distorcer a favor dele e distorcer contra o rival no exercício do ofício.

Só entende a loucura que é o futebol quem ainda tem um clube para torcer. Jornalista que deixa de torcer ou não tem time, com o devido respeito, já perdeu o meu indevido respeito.