Blog do Mauro Beting

Joga pouco, mas falta pouco. Corinthians 0 x 0 Grêmio.

Mauro Beting

Faltou gol, faltou futebol, faltou ousadia, faltou quase tudo que tem faltado no fraco futebol brasileiro. Mas como sobrou Corinthians no turno, o clássico entre os melhores times do Brasil acabou sendo uma goleada paulista. A reafirmação da liderança. Uma rodada a menos rumo ao título que será merecido por tudo que o Timão se superou. Por nada que fazem os rivais.

Inclusive o mais qualificado como o Grêmio. O brasileiro na semifinal da Libertadores em busca do tri. O time que largou muitas rodadas do BR-17 com os reservas. A equipe que tem a revelação do campeonato, o excelente Arthur. O time muito bem armado por Renato, que sentiu demais a ausência de Luan, que voltou e se mexeu bem, mas não merecia muito mais do que produziu pela melhor equipe em Itaquera. A que mais buscou o gol (também porque precisava muito mais). Mas a que chegou mais vezes em tiros longos de Edilson, uma bela cobrança do lateral de falta no travessão, e não muito mais que isso.

Mesmo buscando mais a meta como objetivo, criou apenas cinco oportunidades em São Paulo. É pouco. Mas foi mais do que o grande líder. Fora uma bola cruzada de falta que Jô cabeceou rente à trave de Grohe, no final do primeiro tempo, mais nada chegou com perigo o Corinthians. Uma chance. Mais um tiro longo por sobre a meta, de fora da área, na segunda etapa, e só. Com Jadson e Rodriguinho errando muito, Jô isolado, Romero esforçado como todos, mas todos bem marcados pela ótima zaga com Geromel e Kanneman, bem protegidos por Jailson.

É muito pouco para o líder e provável heptacampeão. Mas deverá ser o suficiente para fazer o melhor time do campeonato vencedor. O que é sempre maravilhoso para o torcedor. E muito ruim para o presente e para o futuro do nosso futebol.

Jogos decisivos como o de Itaquera são marcados, mascados, muitas vezes modorrentos tecnicamente. Mas não podem ser fracos como foi. Ou tão fracos como tantos jogos do BR-17.

O Corinthians foi brilhante exceção no turno. Mas foi dragado pela mediocridade geral. Não podemos nos acostumar com tão pouco. É Corinthians. É Grêmio. É o futebol pentacampeão mundial. Não pode e não deve ser apenas isso.