Blog do Mauro Beting

Difícil, mas possível. Grêmio 1 x 3 Palmeiras.

Mauro Beting

O Corinthians segue como grande favorito ao hepta. Mas o decacampeonato palmeirense não parece mais impossível. Improvável, ainda é. Mas o nível de três boas atuações verdes que não se viam desde 2016 dá esperança ao alviverde. Porém, o Corinthians terá que continuar jogando mal (e perdendo os jogos que ainda assim não perde) para perder algo que ainda parece ganho.

O Grêmio tinha de pensar no que pensaria o Palmeiras se não tivesse sido eliminado pelo próprio Barcelona do Equador: Libertadores. Por isso deu mais minutos de cancha a Luan e Michel e, como havia feito no turno, recheou a equipe com reservas. De bom nível, mas reservas. Desentrosados e sem ritmo,  e com Jael e Arroyo pedindo para serem criticados. Ainda assim se esperava mais no primeiro tempo em casa. O Palmeiras fez o que deveria depois de dois bons desempenhos: repetiu a equipe que Cuca não repetia, apenas com a entrada de Borja no lugar do lesionado artilheiro Willian. E o colombiano fez bom primeiro tempo, apesar de isolado. Deu carrinho, roubou bola na lateral, e, das três chances (poucas) na primeira etapa, nas três participou. Mas foi pouco futebol. Ainda mais pela necessidade de vitória do Palmeiras que só tem o BR-17 para pensar depois da queda na Libertadores.

O Grêmio retornou mexido. E para muito pior. Kaio já não estava bem como volante e foi pior como lateral. Marcelo Oliveira não foi bem na zaga no lugar de Bruno Rodrigo. Jailson entrou muito mal na cabeça da área. Mas não deu tempo para dar tudo errado no Grêmio. O Palmeiras é que recomeçou voando. Aos 2, com o meio-campo aberto, Moisés rolou para Dudu experimentar de longe. Lei do Ex dupla: o ex-tricolor chutou, o ex-palmeirense MO participou involuntariamente, tirando de Paulo Victor.

Cinco minutos depois, Keno foi derrubado na área e o árbitro não marcou. Um minuto passou, blitz pela esquerda deu em bela pancada de Moisés que bateu no travessão e entrou, raspando Keno parado como poste ao lado da trave. Aos 18, lance bem trabalhado pela direita criou o passe de Mayke para Dudu ampliar. O Palmeiras seguiu cozinhando o jogo até levar mais um gol de bobeira em falta cruzada na área, aproveitada por Michel.

Derrota preocupante do Grêmio no BR-17, mas que não deve e não pode preocupar na luta pela Libertadores. Belíssima vitória do Palmeiras, daqueles para entusiasmar o mais corneta alviverde com o time de melhor ataque. E, pela primeira vez em 2017, engatando três boas atuações.