Blog do Mauro Beting

Kaká!

Mauro Beting

Kaká pendurou no final de 2017 as melhores chuteiras do mundo em 2007. Quando ele foi o último humano a superar os ETs Messi e Cristiano Ronaldo.

Kaká não jogará mais o tudo que começou a jogar pelo São Paulo já em 2001, quando estreou campeão do Rio-São Paulo sendo decisivo contra o Botafogo. Quando em pouco mais de um ano virou opção de banco no penta de Scolari. Desbancando outros craques mais rodados. Nenhum maior do que ele há 10 anos. Quando liderou o Milan na conquista da Europa e do mundo.

Kaká não voltará ao São Paulo como tão bem retornou em 2014 para ser vice brasileiro. E exemplo aos mais jovens tricolores. Dentro e fora de campo. E a todos de todas as cores e credos que sempre tão bem defendeu.

Mesmo quando não foi o mesmo no Real Madrid e no retorno a Milão. Quando as contusões começaram a a abreviar uma carreira brilhante. Exemplar. Sem senões. Alguns sermões. E muita categoria e conduta.

Kaká foi um dos melhores europeus nascidos no futebol brasileiro. Técnico e objetivo, tático e inteligente, elegante e vibrante, merecia mais sorte no Brasil de 2006 quando foi um dos nomes da constelação eclipsada por Zidane em Frankfurt. E no Brasil de 2010 quando era a maior estrela da companhia limitada imposta por Dunga.

Kaká não foi aquele no Madrid. E mesmo no São Paulo de coração e de carteirinha acabou conseguindo menos do que o imenso talento merecia. Fora o RJ-SP-01, só um Supercampeonato Paulista que não era super, em 2002. E as vaias imerecidas ao final da passagem menos vencedora do que ele, em 2003.

Por essas coisas do destino e alguns desatinos alheios, Kaká foi menos ídolo tricolor que outros que jogaram menos. Mas deixa os campos como referência geral e merecendo a reverência coletiva.

Kaká que começou como Cacá e superou até o palavrão que era em italiano para ser um craque mundial. O melhor em 2007. Dos melhores do século. Dos maiores do Brasil e do São Paulo.

Mostrou que não só Bad Boy se supera e se espera muito. Tem como ser campeão como “bom moço de boa família”. De ótima cabeça e grande categoria.

CC. Kaká.

Curta o seu canto de cisne.