Blog do Mauro Beting

Os zagueiros de Tite

Mauro Beting

Marquinhos e Miranda estão desde a primeira lista de Tite, em agosto de 2016. Estariam em qualquer relação de todo treinador brasileiro. Pode até se questionar se vivem os melhores momentos. Mas não se discutem entre os 23 para a Copa. Miranda tem potencial para ser capitão depois de Daniel Alves. Mesmo não sendo muito de falar e se expressar, tem um enorme respeito dos companheiros.

Tite costuma dizer que a disputa da zaga é a mais dura no time. Mas, de fato, Miranda nunca foi ameaçado. O treinador, por vezes, preferiu Thiago, que ganhou muitos pontos pelos jogos quase perfeitos em Berlim e Moscou. Marquinhos é mais um beneficiado pelo rígido sistema que protege os beques e tem desempenho irretocável nos últimos dois anos.

Thiago Silva só foi lembrado na segunda chamada de Tite. Estava meio que em segunda época depois de falhar em momentos capitais com Dunga. Inclusive na questão de não aceitar a perda da capitania na Seleção. Não pegou bem. Mas ele, potencialmente, é o melhor dos zagueiros. Ainda pode sonhar com a titularidade. Se não para começo de trabalho, não deve para os outros dois. Só deve ainda para ele mesmo na Seleção. Pode se recuperar ainda mais porque apreendeu a aceitar a condição de não ser mais titular absoluto.

O quarto nome de zagueiro segue aberto. É uma das cinco dúvidas de Tite para a Rússia.

Geromel é o favorito. Lembrado ainda na primeira lista de Tite (em substituição ao cortado Rodrigo Caio), o gremista evoluiu bastante. Foi o melhor zagueiro no Brasil em 2016-17. Tite respeita a aplicação, eficiência e regularidade dele. A capacidade de decidir. E os poucos erros cometidos. A segurança dele, vista em diversos jogos in loco pela comissão do Brasil, pesa a favor – Tite até concedeu alguns minutos em Moscou para o gremista ir a campo.

Como o treinador admira bastante Rodrigo Caio. Versatilidade para atuar de volante e o caráter também pesam na avaliação do são-paulino. A fase instável do clube, porém, o atrapalha na busca de um lugar para a Rússia. A média de Rodrigo Caio nas temporadas recentes, para o treinador, ameniza a influência pela irregularidade do São Paulo e o coloca na briga.

.Jemerson estaria com mais chances na minha lista do que Rodrigo Caio. Mas ele caiu de produção junto com o despedaçado Monaco desta temporada.

Gil também perdeu competitividade na China e não foi bem contra a Argentina.

Felipe é um dos maiores achados da carreira de Tite. Só o treinador confiava no zagueiro do Bragantino que parecia última opção no Corinthians. Até ele evoluir demais e fechar um 2015 brilhante. Em Portugal vai muito bem no Porto. Mas não a ponto de encantar a comissão técnica que não vê na Liga portuguesa o melhor campeonato para mensurar as qualidades de um atleta, para dar ritmo de competição a um jogador de Seleção.

Dos nomes alguma vez convocados por Tite, Luan Garcia é reserva no Palmeiras e não jogou bem desde que chegou ao Allianz Parque. Vítor Hugo só agora consegue uma sequência na Fiorentina. David Luiz perdeu espaço no Chelsea (onde atuava bem na linha de cinco que não será usada pelo Brasil), e nunca foi um nome dos mais cotados na nova ordem da Seleção.

COLABOROU DASSLER MARQUES