Blog do Mauro Beting

Lei do ex e falhas individuais. Chapecoense 3 x 2 Flamengo.

Mauro Beting

ESCREVE GUSTAVO ROMAN

A Chapecoense ainda não havia vencido no brasileirão deste ano. O Flamengo, apesar de bastante modificado, era líder do campeonato e contava com ótimo retrospecto diante do adversário. Expectativa de um jogo favorável aos cariocas. Porém, o que se viu no primeiro tempo foi um time vistante repetindo os erros de partidas anteriores. Tinha muito a posse de bola. Mas não acelerava e jogava espaçado, facilitando a forte marcação dos donos da casa.

Não foi a toa que a Chape desceu para os vestiários em vantagem, gol de Canteros, ex Rubro-Negro. E teve ainda outra oportunidade clara de ampliar em cabeçada de Arthur, completamente livre. Isso apesar de passar praticamente o tempo todo fechado, tendo como única jogada de ataque a velocidade de Apodi.

Na etapa complementar, o Fla voltou melhor. Com outra postura. Acelerando mais o jogo. E empatou logo aos três minutos. Jandrei sai mal em falta cobrada por Trauco. Guerrero se aproveitou e deixou tudo igual. Em um contra-ataque puxado por Rodinei, o peruano teve a chance de virar. Mas acabou batendo por cima.

Aos 23, veio a primeira falha individual. Juan tentou sair jogando. Leandro Pereira roubou-lhe a pelota que ficou com Guilherme. O veloz meia pelo lado direito ao entrar na área e sentir o braço de Jonas em seu ombro desistiu da jogada. Vuaden assinalou pênalti. Pra mim inexistente. O próprio Guilherme cobrou com categoria e fez 2 a 1.

A partir daí, Maurício Barbiéri começou a colocar jogadores do meio pra frente no Flamengo. Tirou o menino Jean Lucas e pôs Vinícius Júnior, aberto na esquerda. Marlos Moreno passou para a direita. Só que por aquele setor já estavam Rodinei e Pará. Ficou congestionado!

Por sorte deu certo. Trauco cruzou e Vinícius Júnior entrou em diagonal para escorar e deixar tudo igual. E parecia que terminaria assim. No entanto, ainda haveria tempo para mais uma falha individual. E esta, fatal. Já nos acréscimos, Leandro Pereira se antecipou a Léo Duarte e tocou fraco para o gol. O goleiro César tentou adivinhar a trajetória da bola e acabou surpreendido no contrapé. Não houve mais tempo para reação ou novo empate. A Chape venceu. E ganha um novo fôlego na competição. O Flamengo se concentra agora na Libertadores e na sua busca pela vaga nas oitavas de finais da competição. Segue líder da Série A. Mas mostrou que com time titular, reserva ou alternativo ainda precisa ajeitar muita coisa.

ESCREVEU GUSTAVO ROMAN

Veja a análise do jogo de Gustavo Roman