Blog do Mauro Beting

Jogaram como jamais e ganharam como nunca! Alemanha 0 x 1 México

Mauro Beting

Um jogaço que poderia ser repetido todo dia. E toda Copa. A Alemanha de sempre se complicando quando menos se espera. Mas o México aguardado pela vontade de gerar jogo de Osorio – com a vantagem de, desta vez, saber evitar os gols rivais. Um festival de futebol de tremer a terra.

1º TEMPO – Baita jogo desde o começo como se esperava. México do Osorio é bacana de ver (não necessariamente de torcer) pela imprevisibilidade. Se atira à frente e não pergunta. Por isso, com 21 minutos, já eram oito chances de gol bem trabalhadas das duas equipes, além de finalizações de longe. México rapidamente contragolpeando uma Alemanha que sabia o que fazer também rapidamente com a bola, com os todocampistas Khedira e Kroos saTindo para construir o jogo. Não fosse o absurdo Neuer (que voltou como se não tivesse ficado fora 260 dias) e o ótimo Ochoa, o placar teria sido maior. Mas foi justo em mais um belo contragolpe armado para Lozano aparecer às costas de Kimmich, limpar Boateng e fuzilar Neuer, aos 34, que o placar foi aberto. Respondido com falta de Kroos no travessão, desviada por Ochoa.

2º TEMPO  – Trancado no 5-4-1 na segunda etapa, com o recuo de Layun pra lateral-direita, e a sobra de Ayala, Osorio deu a bola aos alemães que só tiveram a primeira chance numa puxeta de Kimmich, aos 18, quando Lowe já tinha colocado Reus aberto pela direita no lugar de Khedira, adotando de vez o 4-1-4-1, apenas com Kroos como volante – mas muito mais como armador pelo recuo excessivo mexicano. No final, era Mario Gomez como referência no ataque para perder os gols que Ochoa negou. Brandt ampliando o campo num time que foi só o ataque, contra um México que foi só defesa e conseguiu a maior vitória desde 1930.

CHANCES DE GOL –  ALEMANHA 6 X  6 MÉXICO primeiro tempo;  ALEMANHA 9 X 2 segundo tempo. TOTAL: Alemanha 17 x 8

O LANCE – 6min do segundo tempo. Draxler só não empatou graças à defesa espetacular de Ochoa, em lance de impedimento.

O CARA – Lozano é ótimo, hábil, não vai ficar no PSV depois da Copa. Mas quem mais uma vez fez de tudo é o ótimo goleiro Ochoa que mais uma vez fechou a meta mexicana que tanto já sofreu com Jorge Campos.

TÁTICA – Alemanha no esperado 4-2-3-1 (4-4-2- sem a bola, com Muller na frente se juntando a Werner); México que gosta de variar do 4-1-4-1 ao 4-3-3 com transição muito rápida e quase sempre para o ótimo Lozano (autor do belo primeiro gol), e bem organizado pelo volante Herrera. Na segunda etapa, para fechar os circuitos, Osorio armou o time no 5-4-1 bem atrás sem a bola, e um 3-4-3 nos esporádicos contragolpes

NOTAS DO JOGO –  ALEMANHA 7 X 7 MÉXICO  –  JOGO NOTA 9

O CHUTE INICIAL – ALEMANHA 3 X 3 MÉXICO (palpite do bolão)

NO FRIGIR DAS BOLAS  – México foi enorme. E deverá ser o primeiro do grupo. Como o Brasil também deverá ser o líder da chave dele, Brasil x Alemanha já nas oitavas…

Veja a análise do jogo de Gustavo Roman