Blog do Mauro Beting

Samarazazo. Rússia 0 x 3 Uruguai.

Mauro Beting

Tem de respeitar a Celeste Olímpica. O Uruguai recolocou a atual seleção russa em sua condição de coadjuvante que só está na Copa porque ela é em casa. E não há casa que a garra charrúa não supere desde 1950. Em 2010 despachou a fraca África do Sul na primeira fase pelo mesmo placar e agora repete o feito com muita tranquilidade

1º TEMPO – O Uruguai mesmo sem ter três titulares poupados para as oitavas começou melhor e abriu o placar aos 9, depois de um passe mal dado que gerou falta e o gol na cobrança de Suárez, contando com a colaboração do zagueiro Ignashevich, que saiu empurrando dois uruguaios na falsa barreira e abriu o canto que o fraco Akinfeev não conseguiu defender. A Rússia também poupou quatro dos seus atuais titulares, mas não soube jogar, e levou o segundo, aos 22, de um chute de Laxalt que desviou no artilheiro Cheryshev. Aos 36, a expulsão do lateral-direito Smolkinov acabou com a Rússia. E com a emoção no jogo.

2º TEMPO  – A Rússia chegou uma vez na etapa final. Normal com 0 x 2 e um a menos e com as limitações da equipe. O Uruguai resolveu acelerar nos 20 finais. Cavani enfim achou seu gol aos 44, depois de um par de ótimas defesas de Akinfeev.

CHANCES DE GOL – URUGUAI 4 X 2 primeiro tempo;  URUGUAI 8 X 1 segundo tempo. TOTAL: URUGUAI 12 X 3

O LANCE – Suárez bate falta no canto onde não havia goleiro e nem zagueiro.

O CARA – Suárez abriu o placar e os espaços para o companheiro Cavani fazer enfim o dele.

TÁTICA – Rússia manteve o 4-2-3-1. Uruguai no 4-4-2 usual.

NOTAS DO JOGO –  URUGUAI 8 X 4 RÚSSIA  –  JOGO NOTA 7

O CHUTE INICIAL – RÚSSIA 2 X 1 (palpite do bolão)

NO FRIGIR DAS BOLAS  – A Rússia já fez mais do que deveria na Copa na Rússia. Uruguai sempre faz mais do que pode e ainda poderá atrapalhar quem vier do outro grupo.

Veja a análise do jogo de Gustavo Roman