Blog do Mauro Beting

Palmeiras x Cruzeiro é o encontro com mais confrontos recentes

Mauro Beting

O Palmeiras de Felipão não leva gols e o Cruzeiro, mesmo criando bastante, mesmo com ótimo meio e ataque (ainda que só agora estejam voltando Fred e Sassá aos treinos), e também por pelo menos cinco lances de gols mal anulados no BR-18, tem feito pouco. Ou faz muito fora de casa e sofre demais no jogo de volta no Mineirão.

Pela fase e instabilidade, também pelo desgaste da viagem de Dedé pela Seleção que pode atrapalhar, o Palmeiras começa com mais chances de chegar à final da Copa do Brasil. Mas pouca coisa. O atual pentacampeão tem treinador inteligente e experiente. Time hábil e letal. Mas que vive dias de pior desempenho e resultados.

O duelo entre os Palestras é um dos grandes confrontos diretos do futebol brasileiro nos últimos 25 anos.

A primeira vez que teve jogo decisivo entre os Palestras foi no quadrangular final do Robertão-69. Foi 1 a 1 em Minas, na penúltima rodada. Na última, o Palmeiras venceu o Botafogo no Morumbi e ganhou o segundo Robertão verde.

Em 1970, mais uma vez finalistas no quadrangular decisivo em turno único. Na última rodada, 4 a 2 Palmeiras, no Pacaembu. Mas o Fluminense acabou campeão do Robertão. O Verdão foi vice.

Em 1973, mais uma vez se cruzaram na fase decisiva do Brasileiro. Leão fechou o gol no Mineirão na primeira partida e Edu Bala fez o gol da vitória. Palmeiras acabaria bi do país em 1972-73.

Só uma vez o Cruzeiro levou vantagem no Brasileiro. Foi no primeiro mata-mata em três jogos. Pelas quartas-de-final, o Cruzeiro venceu no Mineirão por 2 a 1 e o Palmeiras devolveu o placar em casa. No terceiro jogo, derrota dolorida no final por 3 a 2, no Palestra.

DUELOS INTERNACIONAIS

A revanche veio a porco, no mês seguinte, na primeira Mercosul: mais uma vitória celeste em Belo Horizonte por 2 a 1 foi devolvida com juros no Palestra: 3 a 1. Mas era necessário mais um jogo. E deu mais uma vez Palmeiras: 1 a 0. Campeão da Mercosul-98.

Em 1999, nas quartas-de-final da Mercosul, novo duelo. Um 7 x 3 no Palestra que o 2 a 0 para o Cruzeiro não conseguiu reverter.

O penúltimo confronto internacional foi pela Mercosul de 2000. Felipão estava no banco do Cruzeiro. O ex-cruzeirense Marco Aurélio treinava o Verdão. O resultado foi o mesmo: duas vitórias, 3 a 2 no Palestra, 2 a 1 no Mineirão, pelas quartas-de-final.

Na Libertadores-01, Felipão ainda do outro lado, Celso Roth do nosso, mais uma fase de quartas superada pelo Palmeiras. Mais uma vez entrando sem ser o favorito. Empatou por 3 x 3 no Palestra e por 2 a 2 no Mineirão. Nos pênaltis, São Marcos classificou o Verdão por 3 x 2.

COMPETIÇÕES NACIONAIS

Nos outros torneios nacionais, só duas eliminações. Na primeira e na última Copa do Brasil. Em 1996, o fabuloso time de Luxemburgo foi melhor no Mineirão – mas ficou no 1 a 1. Na final, sem Müller que foi pro São Paulo, o Palmeiras massacrou o Cruzeiro. Dida fechou a meta e duas raras falhas individuais foram aproveitadas pelo Cruzeiro que virou o jogo e história: 2 a 1 no Palestra.

Dor devolvida no último chute inacreditável de Oséas no 2 a 0 no Morumbi que garantiu o primeiro título da Copa do Brasil, em 1998, depois da derrota por um gol em BH.

Na conquista do tri da Copa do Brasil, em 2015, o Palmeiras eliminou o Cruzeiro nas oitavas. Venceu no Allianz Parque por 2 a 1, e no Mineirão por 3 a 2.

No ano passado, o Palmeiras levou 3 a 0 no primeiro tempo em São Paulo, nas quartas. Mas foi buscar o 3 a 3 que quase virou vitória. No Mineirão, abriu o placar na segunda etapa. Um gol de cabeça do hoje camisa 6 Diogo Barbosa classificou o Cruzeiro.

Na primeira das três edições da Copa dos Campeões, em 2000, o Palmeiras passou pelo rival nas quartas: com Murtosa como interino, e o atual auxiliar-técnico Paulo Turra estreando na zaga, o Verdão venceu o Cruzeiro por 3 a 1 em João Pessoa, e empatou por 1 a 1 em Maceió. O Palmeiras seria o primeiro campeão do torneio que levava o vencedor para a Libertadores de 2001.

Sem contar as fases decisivas de 1969, 1970 e 1973, quando o Palmeiras foi campeão duas vezes e vice uma vez do Fluminense, o retrospecto em confronto direto é uma goleada do Palestra mais antigo: são 7 vitórias em mata-mata contra 3 mineiras. 7 x 3 como na Mercosul-99.

Uma vez o Cruzeiro foi campeão na final, e em 2017 marchou para o título; o Palmeiras deu o troco duas vezes em 1998, e ganharia mais dois canecos depois de passar pelo Cruzeiro.