Blog do Mauro Beting

Tecnologia é ótima, mas precisa ler manual de instrução antes de ligar

Mauro Beting

O problema será sempre de quem aperta o botão, não da máquina. Até porque não é ela que tem parafusos a menos. Somos nós. Alguns até com porcas a mais – meu caso.

Mas não este. Independente da decisão tomada no lance capital de Palmeiras 0 x 1 Cruzeiro (a falta que eu não marcaria de Edu Dracena em Fábio e que pode ser marcada porque a regra precisa ser interpretada), o árbitro Wagner Reway errou ao já apitar a definição do lance – e, desse modo, inviabilizar o uso do VAR.

Errou por já “julgar o caso em última instância” e não ouvir o colegiado, digamos assim. Mas o ato dele não pareceu premeditado e mal intencionado. Foi consequência natural de anos apitando para evitar discussão – embora, no caso, tenha criado ainda mais por isso, ao não seguir a clara recomendação de ofício quando se tem VAR.

Foi um reflexo natural. Faltou condicionamento. Atenção. O que é ainda mais natural em final de partida.

O que não pode ser natural é a campanha contra o VAR por má utilização. Ou por esquecê-lo dentro da caixa, ainda embrulhado.

O pacote é bom. O produto é ótimo. Mas precisamos sempre ler o manual de instrução antes. A SmartTv é melhor que a nossa velha valvulada. Não é porque não conseguimos configurar a rede Wi-Fi que ela não presta.

É preciso ter calma. E, claro, um profissional que saiba usar a tecnologia. E não jogue o controle remoto fora no primeiro botão mal acionado.