Blog do Mauro Beting

Peixe vivo reanima o BR-17? Santos 2 x 0 Corinthians.

Mauro Beting

Com Vanderlei numa meta e Cássio na outra, a chance de gol era reduzida na Vila. Pela fase do corintiano, e por aquilo que tem feito o Timão (ou fizera no turno), as chances eram ainda menores. O que não justifica mais um tempo decepcionante no BR-17. O grande líder só foi acossar a meta santista a partir dos 35. Quando Ricardo Oliveira e seus parceiros criaram mais. Mas não tanto.

 

 

Copete saiu no intervalo. Gustavo Henrique, excelente zagueiro, mais uma vez teve de conviver com lesão, e saiu com apenas 24 minutos. Mas o Santos voltou melhor no jogo. Alison seguiu bem no meio dando suporte a Renato, esse garoto que há 22 anos joga em altíssimo nível futebol. Na bola e na boa.

 

O time de Levir mereceu o gol que marcou com Lucas Lima, aos 12 do segundo tempo. Esperou o Corinthians que resolveu vir para o clássico. Camacho tentou dar mais qualidade na saída de bola no lugar de Gabriel. Mas faltou a consistência defensiva e o equilíbrio tático do turno. Além de Arana na lateral. Tudo que dava certo no Corinthians já está incerto. Inclusive o final do jogo, quando as bolas batiam e entravam. Agora são sofridas, como o gol do pastor, aos 48. Em novo lance bem armado por Bruno Henrique que passou por Fagner como quis na segunda etapa.

 

Mas as maiores fragilidades dos rivais ainda dão considerável folga na tabela ao líder. Ainda merecedor de todos os elogios. Anormal não é a queda de produção e a pontuação menor agora. Absurda era a campanha até hoje.

 

 

Campeonato ainda não aberto. É maluco como o próprio Santos. Criticado em quase todos os jogos. Mas que segue muito bem na tabela. Podendo sonhar com o tetra da Libertadores. Mas ainda com dificuldades para delirar com o enea brasileiro.

 

Veja a análise de Gustavo Roman