Blog do Mauro Beting

Os Brasis pra Copa

Mauro Beting

O meu time é o de Tite – não necessariamente o dos atletas. Alisson (mas poderia ser Ederson); Danilo, Thiago Silva (e poderia ser Marquinhos), Miranda e Marcelo.

Casemiro e não se fala em outro nome na cabeça da área.

Aí entra o primeiro Brasil. O que Tite prefere. Paulinho um tanto mais atrás. Mas sempre pisando na área. Coutinho por dentro, mas variando com Neymar pela esquerda, e recompondo sem a bola pela esquerda para liberar o gênio para se aproximar de Gabriel Jesus no primeiro bote.

Na direita, mas com liberdade também para flutuar e articular por dentro, Willian. Também para suprir a ausência sensível de Daniel Alves pela banda direita.

Nos números, um 4-2-3-1 que pode ser 4-1-4-1 com Paulinho mais solto. E mesmo um 4-3-3 contra eventuais linhas de cinco na zaga rival.

Para criar espaços contra Suíça e Sérvia, não há melhor time.

Para conter equipes que ficam com a bola como Espanha e Alemanha, não se deve descartar Fernandinho. Desde que um tanto mais à frente do que contra a Croácia. Jogando mais alto. Como sabe e como pode. Como pede a Seleção.

Mas, para começo de Copa, é o time para começar contra a Áustria.

Aliás, o primeiro adversário da primeira Copa conquistada, em 1958.

Quando Pelé e Garrincha ainda eram banco. Quando Djalma Santos, Zito e Vavá ainda não eram titulares.

Não tem receita pronto. Nem time pronto. Mesmo ganhando.