Blog do Mauro Beting

Ótima vantagem. Atlético Paranaense 2 x 0 Fluminense

Mauro Beting

ESCREVE GUSTAVO ROMAN

O Furacão deu um passo fundamental e importante para chegar na decisão da Copa Sul-Americana ao bater o Fluminense por 2 a 0 na Arena da Baixada. E ainda ficou abarato para um Tricolor muito abaixo das expectativas, que a rigor só conseguiu jogar nos primeiros 10 minutos, quando adiantou a marcação com até sete homens no campo de ataque e dificultou a saída de bola dos donos da casa. Contudo, sempre que o Atlético rompia essa linha adiantada, levava perigo. Antes dos 20 minutos o goleiro Júlio César já havia salvado o time carioca em pelo menos duas oportunidades. Acabou não conseguindo aos 19, em jogada que o ótimo Renan Lodi finalizou duas vezes para abrir o marcador. O Flu sentiu o baque. Marcou muito mal. Errou muitos passes bobos na saída de bola. E deu sorte de não levar o segundo. A má pontaria de Cirino e o travessão acabaram salvando o Tricolor.

Marcelo Oliveira conseguiu acertar um pouco mais o posicionamento de seus jogadores no intervalo. E o Furacão também estava naquele dilema que o gol qualificado acaba propiciando: precisava sair e buscar uma vantagem que desse uma tranquilidade ainda maior para o jogo de volta no Maracanã. Mas ao mesmo tempo não queria se expor demais e levar um tento em casa que contaria como critério de desempate.

O Atlético passou a ser ainda mais cauteloso quando Lucho González foi substituído por Wellington, o que piorou sensivelmente a saída de bola paranaense. Animado, o Tricolor buscou a igualdade. Especialmente nas bolas cruzadas. No entanto, as alterações acabaram não surtindo o efeito desejado e a parte física pareceu pesar no terço final da partida. Esse conjunto de fatores aliado à ótima entrada de Rony no lugar de Marcelo Cirino fizeram o Rubro-Negro retomar o domínio e criar chance atrás de chance.

Pablo carimbou o travessão aos 28 minutos. Júlio César fez mais algumas boas defesas. Até que aos 32 os dois protagonistas do espetáculo fizeram a jogada do segundo gol. Renan Lodi cruzou com perfeição nas costas de Digão. Ayrton Lucas, que fez um jogo muito ruim, não acompanhou e Rony testou sozinho para mandar para as redes. E dar uma ótima vantagem ao Atlético. Com toda a justiça. Foram 13 chances de gol criadas pelos anfitriões contra apenas cinco dos visitantes. E muito volume de jogo do lado paranaense.

Claro que o Fluminense ainda pode virar. Tem camisa e terá um Maracanã lotado ao seu lado para isso. Porém, pela fase que os times atravessam e pelo que vimos no jogo de hoje, o Furacão está bem próximo da decisão. Afinal, se fizer um gol fora de casa, obrigará o Tricolor a golear.

ESCREVEU GUSTAVO ROMAN