Blog do Mauro Beting

Kazim fica difícil. Corinthians 0 x 1 Ponte Preta

Mauro Beting

Era o melhor Corinthians possível na estreia no Pacaembu, na reedição da final do SP-17. Juninho Capixaba ainda não era o lateral que também não foi Romão. Como ainda o campeão brasileiro de 2017 não é aquele. E ninguém é ou pode ser cobrado por nada em início de temporada. Ainda mais sem a pré-temporada adequada. Para não dizer decente.

Mas o Corinthians teve uma brava Ponte Preta com um a menos em todo o segundo tempo em que faria o único gol. Jadson ainda perdeu um pênalti discutível. Kazim jogou todos os minutos. Assim fica mais difícil. Sem discussão.

Enquanto isso, em Fortaleza, no jogo que comentei pelo Esporte Interativo, o ainda corintiano Gustavo fez todos os quatro gols contra o Uniclinic na estreia de Rogério Ceni. O atacante que tatuou a partida que fez pelo Timão que seus pais assistiram em setembro de 2016. Quando pouco e muito mal jogou pelo Timão. Quase como uma versão em português do Kazim de 2017. Mas sem os títulos alvinegros do turco.

Não é o caso de reintegrar Gustavo. Nem o de dar tantas chances a Kazim. É apenas a constatação óbvia. Jô não tem substituto hoje no Corinthians.