PUBLICIDADE
Topo

Final da Primeira Liga: Fluminense campeão!

Mauro Beting

21/04/2016 14h28

ESCREVE DANIEL BARUD

A primeira edição da Primeira Liga foi finalizada na noite de ontem, 20, na decisão entre o Flu de Levir Culpi e o Atlético-PR de Paulo Autuori. Um duelo interessante tática e tecnicamente, bem jogado e com muita emoção.

Flu começa tomando a iniciativa, propondo o jogo. A equipe carioca visava as jogadas aéreas e pelos flancos com Scarpa e na velocidade de Oswaldo. Gerson se movimentava bem no setor de meio-campo e ajudava Scarpa na organização das ações ofensivas. Magno Alves se movimentava, fazia o pivô, vinha buscar jogo.

Panorama inicial da partida. Ambas equipes no 4-2-3-1. (TacticalPad)

Panorama inicial da partida. Ambas equipes no 4-2-3-1. (TacticalPad)

O Atlético-PR aproveitava os espaços deixados pela defesa do Flu para investir no campo de ataque. O 4-2-3-1 de Paulo Autuori tinha o conhecido e ex-Flu Walter entre os zagueiros. Vinicius armava os contragolpes atleticanos. Nikão e Marcos Guilherme eram os extremos.

O Flu encontrava espaços para criar oportunidades, nas bolas aéreas, em escanteios e faltas. Faltava acertar a pontaria. Gerson quase abriu o placar, após cobrança de escanteio. Wéverton salvou. Oswaldo quase abriu o placar, após bom lançamento, entrando em diagonal.

O Atlético começou a gostar do jogo. Acionando Walter, que se movimentava muito e Nilkão, a equipe visitante equilibrou a partida. Vinicius chutou de bate-pronto e a bola foi no travessão. A zaga do Flu falhava e dava oportunidades e chances claras de gol para o Furacão. Cavalieri salvava o Flu como podia. Defensivamente, o Flu deixava espaços na transição defensiva, quando perdia a bola, recompunha com dificuldades e deixava espaços.

Primeiro tempo bem interessante. Com domínio do Flu no começo e equilíbrio atleticano na parte final. Flu começou bem, pressionou, criou chances, mas não marcou. O Atlético começou a equilibrar a partida, aproveitando falhas no sistema defensivo tricolor, principalmente pelo flanco direito de ataque, em cima de Giovanni, que estava mal defensivamente.

Flu começou a etapa final em cima, pressionando a saída de bola atleticana, buscando roubar a bola no campo de ataque para facilitar o caminho até o gol.

Magnata entrou em diagonal, após excelente passe de Scarpa, o veterano driblou o arqueiro Weverton e tentou tocar para Gerson, o zagueiro Thiago Heleno quase fez contra, mas afastou o perigo.

Magno Alves se movimentava bem parecia um jovem, buscando os lados, saindo da área, abrindo espaços para infiltrações dos companheiros. O Flu tinha mais posse de bola, mas cometia erros bobos na fase defensiva, cometendo faltas bobas e dando espaços.

Levir tirou Oswaldo e colocou Marcos Junior. Trocou Gerson por Edson. O Flu perdia muitos gols. Walter cobrou falta com belo chute de fora da área. Cavalieri salvou.Vinicius saiu e Pablo entrou. Deivid entrou no lugar de Otávio. O Atlético tentava mas o Flu era quem criava mais.

Panorama da etapa final após as substituições. (TacticalPad)

Panorama da etapa final após as substituições. (TacticalPad)

Os 23.985 pagantes no estádio Mário Helênio viram Magno Alves disputar bola com Paulo André, ganhar a disputa e lançar para Marcos Junior, que disparou em velocidade e tocou por baixo das pernas de Weverton. Flu 1 a 0.

Marcos Junior comemora o gol do título. (Crédito: André Durão)

Paulo Autuori tirou Jadson e colocou André Lima, em busca do empate. O Atlético buscou um abafa no fim do jogo, alçando bola na área. O goleiro Weverton foi para área, mas foi em vão. O título já tinha dono e era o Flu.

Flu Campeão da Primeira Liga. (Crédito: Mailson Santana/Site do Fluminense)

OBS: Na comemoração do titulo, a PM precisou intervir, devido alguns torcedores tentarem invadir o campo. Com isso, não houve volta olímpica da equipe tricolor.

Ambas as equipes voltam a campo no fim de semana para disputar suas semifinais dos estaduais. O Flu decide em jogo único a semi do Carioca contra o Botafogo em Volta Redonda, enquanto o Atlético enfrenta o Paraná no jogo de volta da semi do Paranaense.

ESCREVEU DANIEL BARUD

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 17 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV. Curador do Museu da Seleção Brasileira, um dos curadores do Museu Pelé. Trabalhou nos jornais Folha da Tarde, Agora S.Paulo e Lance!, nas rádios Gazeta, Trianon e Bandeirantes, nas TVs Gazeta, Sportv, Band, PSN, Cultura, Record, Bandsports, Foxsports, nos portais PSN, Americaonline e Yahoo!, e colaborou nas revistas Placar, Trivela e Fut! Lance. Está na imprensa esportiva há 28 anos por ser torcedor há 52. Torce por um jornalismo sério, mas corneta o jornalista que se leva muito a sério

Sobre o Blog

O blog fala, vê, ouve, conta, canta, comenta, corneta, critica, sorri, chora, come, bebe, sofre, sua e vive o nosso futebol. Quem vive de passado é quem tem história para contar. Ele tem a pretensão de dar reload no que ouvi e li e vi e fazer a tabelinha entre passado e presente para dar um toque no futuro.

Blog do Mauro Beting