PUBLICIDADE
Topo

Blog do Mauro Beting

Marrocos 2 x 2 Espanha. Play it again, Marrocos!

Mauro Beting

26/06/2018 09h10

Marrocos tinha boia pra ir além na Copa. Jogou bem e bonito os três jogos. Espanha ainda paga pelo desatino de demitir Lopetegui 56 horas antes da estreia.

1º TEMPO – A Espanha tinha a bola, a trocava com a categoria usual, quando Iniesta tocou pra Sergio Ramos que deixou pra Iniesta para Boutaib dar o bote, a roubar no meio-campo e tocar entre as canetas do goleiro De Gea, aos 13. Na indecisão de dois monstros, o ótimo Marrocos ganhou um presente que passava a dar a Portugal a liderança do grupo. Mas Iniesta, como Kroos depois do erro contra os suecos, é gênio que não tomba. Armou pela esquerda o lance que deu no empate de Isco, aos 18. Pelo gol marcado, Espanha volta a ser primeira do grupo, com Portugal em segundo. Depois do empate, a Espanha passou a ser mais incisiva, com Thiago recuando pela direita para armar, Isco entrando por dentro para trocar de função com Iniesta e espetar Alba, e David Silva rodar mais e criar superioridade numérica pela esquerda.Faltou só finalizar mais – também porque Diego Costa não esteve bem, O golaço de Quaresma no jogo de Portugal x Irã colocou a Espanha em segundo lugar do grupo, aos 44 do primeiro tempo.

2º TEMPO  –  A Espanha recomeçou o jogo precisando ganhar para ser a primeira. Pouco criou de chances, mas fez algumas trocas de bola lindas dignas da qualidade e filosofia da equipe. Faltou apenas mais contudência, porque as melhores chances foram dos rivais, inclusive um chutaço do ótimo Amrabat (que merecia ao menos um vermelho pelo destempero) na trave, aos 9. A partir dos 15, Marrocos retraiu demais e a Espanha ficou com a bola mais próxima da área. Aos 28, Asensio entrou aberto pela direita para centralizar David Silva, Aspas foi atacar o que não acertou o pé Diego Costa. Mas quem chegou ao segundo gol foi Marrocos, aos 35, em bela cabeçada de El NesIry. Aos 45, Aspas fez um belo gol de letra em cruzamento de Carvajal. O bandeirinha anotou impedimento. Um minuto e 47s levou para o VAR fazer justiça. Gol legal. Um minuto depois, o Irã empatou em pênalti – mal marcado – pelo VAR, e a Espanha retomou o primeiro lugar do grupo por gols marcados.

CHANCES DE GOL – ESPANHA 3 X 2 primeiro tempo;   ESPANHA 5 X 4 segundo tempo. TOTAL ESPANHA 8 X 6.

O LANCE – 24min. Boutaib recebeu sozinho um lateral do meio-campo de Zyach mas chutou em cima de De Gea, que demorou a sair tanto quanto o sistema defensivo espanhol entender que não havia impedimento em arremesso lateral.

5min, Saída de bola espetacular entre Ramos, Thiago e Iniesta. Muita qualidade, sem rifar a bola.

O CARA –  Iniesta. Errou feio no primeiro gol rival e, cinco minutos depois, ajudou a criar o empate, e seguiu sendo o maior jogador de todos os espanhóis de todos os tempos.  Isco será um grande substituto dele na Espanha, e também jogou muito bem.

TÁTICA – Espanha no 4-3-3 com dois meias que flutuam abrindo espaço para o avanço dos laterais. Sem a bola, David Silva e Isco recuam e formam um 4-1-4-1. No desespero antes do segundo gol marroquino, o time estava todo no ataque, com dois meias e três atacantes. Quando estava 1 x 2, a Espanha foi ao ataque no 4-1-1-4, com Iniesta atrás de dois centroavantes e dois pontas. Marrocos no 4-2-3-1.

O ataque final espanhol, no 4-1-4-1

BOTA-TEIMA – Arbitragem muito conivente com o jogo duro das duas equipes.

45min12. Gol legal de Aspas anulado por impedimento. 45min57s. VAR sinaliza ao árbitro posição legal.

Nesse lance do segundo empate, o árbitro levou um susto com o escanteio rapidamente batido pela Espanha. A direção de TV da Fifa também e quase perdeu o gol.

No final da transmissão, Amrabat fez questão de mostrar à TV sua indignação quanto ao VAR; fez o sinal da arbitragem para a câmera e falou BULLSHIT. "Bobagem".

NOTAS DO JOGO –  ESPANHA 7 X 7 MARROCOS –  JOGO NOTA 8

O CHUTE INICIAL – ESPANHA 2 X 1 (palpite do bolão)

NO FRIGIR DAS BOLAS  – Marrocos deu uma aula de como atacar quando necessário, e ainda assim saber se fechar. Espanha jogou toda a fase menos do que pode e do que sabe. Mas segue sendo uma das grandes favoritas ao título, com dois jogos com muitos gols, espetáculo e emoção.

Veja a análise do jogo de Gustavo Roman

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 17 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV. Curador do Museu da Seleção Brasileira, um dos curadores do Museu Pelé. Trabalhou nos jornais Folha da Tarde, Agora S.Paulo e Lance!, nas rádios Gazeta, Trianon e Bandeirantes, nas TVs Gazeta, Sportv, Band, PSN, Cultura, Record, Bandsports, Foxsports, nos portais PSN, Americaonline e Yahoo!, e colaborou nas revistas Placar, Trivela e Fut! Lance. Está na imprensa esportiva há 28 anos por ser torcedor há 52. Torce por um jornalismo sério, mas corneta o jornalista que se leva muito a sério

Sobre o Blog

O blog fala, vê, ouve, conta, canta, comenta, corneta, critica, sorri, chora, come, bebe, sofre, sua e vive o nosso futebol. Quem vive de passado é quem tem história para contar. Ele tem a pretensão de dar reload no que ouvi e li e vi e fazer a tabelinha entre passado e presente para dar um toque no futuro.

Blog do Mauro Beting