Blog do Mauro Beting

Vida é o nome dele

Mauro Beting

O nome dele é Vida. Do avô que foi centroavante. Do pai que é zagueiro. Do filho que é Vida. Da Croácia que deu a palavra até a final. Virando a semi como foi buscar nos outros jogos quando saiu atrás. Correndo pelo campo como se fossem crianças. Como o pequeno Vida de um país pequeno. Mas enorme como a brincadeira levada a sério por avô, filho e neto. Todos Vida. Toda ela. (E da inclinação política dele não falo. Apenas lamento).

Quase uma hora depois de Gotze ter feito no Maracanã o gol do tetra da Alemanha, em 2014, Podolski brincava na meta do outro lado do estádio com seu filho. Eles batiam pênaltis como se estivessem no quintal de casa. Como todos os pais e filhos um dia fizeram. E nada foi maior ou melhor neste mundo e na Alemanha. Nem a Copa.

Quase uma hora depois de o Real Madrid eliminar o Bayern na semifinal da Champions deste ano, no Santiago Bernabéu, Cristiano Ronaldo Jr., que se vence pelo nome, foi a última pessoa a sair do gramado. Você vê na foto que tirei pouco antes dele deixar o palco onde seu pai brilhava e fazia gols como só ele.

O filho de Cristiano todo jogo faz a mesma coisa com Enzo, filho do brasileiro Marcelo. Mesmo nome de um dos filhos do Zidane que já deixou o vestiário. Como Cristiano vai levar seu filho para Turim. Deixando órfãos os merengues. Ainda que em breve talvez tenham Enzo na lateral. Como por décadas no Milan o enorme Paolo Maldini excedeu o legado do pai Cesare. Como nesta Copa o grande Peter viu o filho Kasper fugir do fantasma do pai defendendo muito bem a meta da Dinamarca e o sobrenome Schmeichel.

É da vida. É do gene. É dessa gente que encanta de pai para filho. Nessa brincadeira de quintal que vira coisa séria. Pra toda nossa vida.