Topo
Blog do Mauro Beting

Blog do Mauro Beting

O presidente do Brasil

Mauro Beting

08/07/2019 13h51

FHC é penta em 2002

Itamar é tetra em 1994

Médici é tri em 1970

Jango é bi em 1962

JK é campeão em 1958

A CBF precisa de Jair Bolsonaro. Ou melhor: do presidente da República. Qualquer que seja o titular do cargo, sempre terá crédito na entidade.

Bolsonaro é campeão da Copa América em 2019

Torneio internacional no país exige a presença do mandatário. Também para entregar medalhas. Ainda mais quando o país-sede é campeão.

Faz parte do jogo e de qualquer jogada. Independente de partido, eleito, ungido, hereditário, golpista, legítimo, democrático, ditador, progressista, conservador.

Rei Gustavo da Suécia dá a Jules Rimet ao campeão Brasil, em 1958

Já falei na festa do deca a respeito da presença do presidente eleito palmeirense.

O texto talvez mais duro a respeito do tema. E o mais repercutido, também. Leia aqui https://www.google.com/url?sa=i&source=web&cd=&ved=0ahUKEwij9e6dsqbjAhWcG7kGHXcwAFsQzPwBCAM&url=http%3A%2F%2Fnossopalestra.com.br%2Fcarta-ao-presidente-do-brasil-nao-do-brasileirao%2F&psig=AOvVaw2z6gnKRqt8mxu5wpdtWIGe&ust=1562712066030157

Agora é diferente. E ele também se saiu melhor do que em 2018. Amadureceu. Esperou a festa protocolar dos atletas. As fotos oficiais da conquista. As que só tinham os jogadores. A da maioria dos 64 responsáveis pelo merecido título. Não deu volta olímpica. Não quis aparecer com camisa da equipe.

Só então o presidente do Brasil se juntou aos campeões pelo Brasil. Alguns gritos de "mito" de praxe. Sorrisos de todos, até dos eventuais incomodados. Mas tudo democraticamente. Sem partido. Só a alegria do Brasil. De Bolsonaro ou de Haddad. De Lula ou Daciolo.

Tite foi coerente com ele mesmo. Sem afinidade com o presidente que puxou conversa com ele quando recebeu a medalha, cumprimentou protocolarmente quem manda e seguiu em frente. O político também não perdeu o sorriso.

Seguiu o jogo. É assim que se joga.

Rainha Elisabeth entrega a Bobby Moore a Jules Rimet disputada e conquistada pela Inglaterra, em 1966

Bolsonaro jogou como tinha que fazer como presidente e como precisava pelo momento. Escalou ao lado dele Sérgio Moro, outro juiz muito contestado na Copa América. Acenou para a galera que o ovacionou e também vaiou. Como faz parte do jogo. Qualquer um.

Em vez de receber em Brasília os campeões, o presidente aproveitou o gramado para tirar fotos e gravar vídeos. Normalíssimo.

Jorge Videla entrega a Passarella a Copa de 1978 disputada e conquistada pela Argentina

Benito Mussolini e sua Itália campeã em 1934

Sobre o Autor

Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 17 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV. Curador do Museu da Seleção Brasileira, um dos curadores do Museu Pelé. Trabalhou nos jornais Folha da Tarde, Agora S.Paulo e Lance!, nas rádios Gazeta, Trianon e Bandeirantes, nas TVs Gazeta, Sportv, Band, PSN, Cultura, Record, Bandsports, Foxsports, nos portais PSN, Americaonline e Yahoo!, e colaborou nas revistas Placar, Trivela e Fut! Lance. Está na imprensa esportiva há 28 anos por ser torcedor há 52. Torce por um jornalismo sério, mas corneta o jornalista que se leva muito a sério

Sobre o Blog

O blog fala, vê, ouve, conta, canta, comenta, corneta, critica, sorri, chora, come, bebe, sofre, sua e vive o nosso futebol. Quem vive de passado é quem tem história para contar. Ele tem a pretensão de dar reload no que ouvi e li e vi e fazer a tabelinha entre passado e presente para dar um toque no futuro.

Mais Blog do Mauro Beting