PUBLICIDADE
Topo

Hoje tem gol de todo mundo. Flamengo 3 x 1 Atlético Mineiro

Mauro Beting

11/10/2019 08h39

O Galo ainda mais desfalcado do que no domingo quando segurou o então vice-líder não ficou com a bola por mais de 25% de posse dela no primeiro tempo. O restante, ela e o BR-19 viram aos pés do também desfalcado líder do campeonato. Privado de Gabriel Barbosa, Filipe Luís, Rodrigo Caio e Arrascaeta. Da opção ao uruguaio Diego. Mas não dá qualidade impressionante de seu jogo fluido e intenso como se fosse um ótimo Porto – com o perdão da metáfora rasa.

Mas esse Flamengo de Jorge Jesus não perdoa. Até porque tem um Reinier de 17 anos que parece ter 17 anos só de Maracanã. Menor de idade e grande no futebol vestindo a camisa com os números desenhados por crianças. Linda ideia e mensagem.

Joga leve e solto na frente essa criança de 17 com a camisa 19 desenhada como se fosse criança como também joga muito esse repaginado Gerson no meio. Cria lances como Bruno Henrique na frente. Arma jogadas como Everton Ribeiro em qualquer lugar.

Fica com a bola sempre viva perto da área rival. Sufoca pela dinâmica, técnica e pelos arrastões da contrapressão na saída de bola rival. Não dá espaco e fôlego. Cria brechas com muito peito para jogar e correr.

E está jogando muito. Criou cinco chances na primeira etapa. Até que não foram tantas. Duas de pancadas de gente da defesa lá de longe – porque é preciso ter repertório. Ambas bem defendidas por Wilson, terceiro goleiro atleticano. Até o gol de cabeça de Arão depois de escanteio. Esse Arão que JJ redescobriu nos escombros do momento instável na Gávea.

Veio o segundo tempo e o empate atleticano com o bom Nathan marcando um golaço entrando na área e limpando até Diego Alves. Mas sempre passando aquela impressão que mesmo o bom trabalho mineiro no 5-4-1 sem espaços acabaria castigado pela bola do Flamengo. Talvez só não se esperasse que ela viesse a partir de Vitinho, vaiado nas primeiras bolas depois do intervalo. Exigido como ele não tinha esse talento para até 2018 ser o jogador mais caro da história do clube.

Mas Vitinho marcou um golaço para pagar pecados e dívidas com juros e correção futebolística. E teria mais. Reinier fazendo o terceiro gol depois de um lance de quermesse, cheio de balões e pixotadas na área mineira. Grande time também tem isso. Faz gols esquisitos.

Mas, hoje, esquisito mesmo é esse Flamengo não fazer gols e não ganhar jogos que abriram 8 pontos para Santos e Palmeiras.

Sobre o Autor

Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 17 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV. Curador do Museu da Seleção Brasileira, um dos curadores do Museu Pelé. Trabalhou nos jornais Folha da Tarde, Agora S.Paulo e Lance!, nas rádios Gazeta, Trianon e Bandeirantes, nas TVs Gazeta, Sportv, Band, PSN, Cultura, Record, Bandsports, Foxsports, nos portais PSN, Americaonline e Yahoo!, e colaborou nas revistas Placar, Trivela e Fut! Lance. Está na imprensa esportiva há 28 anos por ser torcedor há 52. Torce por um jornalismo sério, mas corneta o jornalista que se leva muito a sério

Sobre o Blog

O blog fala, vê, ouve, conta, canta, comenta, corneta, critica, sorri, chora, come, bebe, sofre, sua e vive o nosso futebol. Quem vive de passado é quem tem história para contar. Ele tem a pretensão de dar reload no que ouvi e li e vi e fazer a tabelinha entre passado e presente para dar um toque no futuro.

Blog do Mauro Beting