Topo

Dirceu Lopes perdoe essas pessoas... Vasco 1 x 0 Cruzeiro.

Mauro Beting

03/12/2019 10h30

Ha 45 anos, no Rio, um clássico decidindo o BR-74 entre Cruzeiro x Vasco teve o mando invertido de modo polêmico. O que era para ser no Mineirão acabou sendo disputado no Maracanã.

O cruzeirense ficou fulo da vida. Mas teve jogo. Ademir fez 1 a 0 Vasco. Jorginho Carvoeiro fez o segundo, mas foi mercado discutível impedimento. Na segunda etapa, o excepcional Nelinho empatou com uma bomba daquelas. Carvoeiro foi lançado por Alcir, o goleiro Vítor foi chutar uma bola que era para defender com as mãos, e o ponteiro vascaíno fez 2 a 1.

O Cruzeiro foi buscar o empate que chegou no gol do excelente volante Zé Carlos. Mas Armando Marques marcou algo que ainda não se sabe se foi falta em Alfinete. Porque impedimento não houve. A falta, menos ainda.

Armando Marques virou figurinha carimbada na alma celeste. Como a administração do Cruzeiro em 2019, mesmo se escapar do que parece impossível a duas rodadas do fim do campeonato e da picada que é a inesperada guinada à Segundona.

A sensação que o torcedor cruzeirense teve nos bastidores em 1974 e no gramado do Maracanã é a mesma depois do gol de Guarin na justa vitória vascaína, em São Januário. O Vasco não tem nada com isso. Fez o dele agora e ganhou em 1974. Tanto então como agora, tem menos time que o Cruzeiro.

Mas levou nesta segunda à noite. Como pode ter encaminhado para a segunda quem vive um inferno astral desde o início do BR-19. Quando conheceu na primeira rodada então apenas a sua primeira derrota na temporada. Para o futuro e brilhante campeão Flamengo. Mas ainda muito distante do futebol de hoje.

Rival que então tinha Abelão. O terceiro treinador celeste no campeonato. Depois de Mano que não funcionou mais. Depois de Rogério deposto pelo elenco. Antes de Adilson que foi do time, no banco foi vice da América há 10 anos, e que agora estreou tentando dar um jeito em um time desajeitado. Em um clube desorientado dentro e fora de campo como se fossem 11 Thiagos Neves dos últimos meses.

O das postagens deploráveis no Instagram. Das declarações lamentaveis aos microfones. Do comprometimento explosivo como TNT.

Que Dirceu Lopes perdoe essas pessoas.

Sobre o Autor

Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 17 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV. Curador do Museu da Seleção Brasileira, um dos curadores do Museu Pelé. Trabalhou nos jornais Folha da Tarde, Agora S.Paulo e Lance!, nas rádios Gazeta, Trianon e Bandeirantes, nas TVs Gazeta, Sportv, Band, PSN, Cultura, Record, Bandsports, Foxsports, nos portais PSN, Americaonline e Yahoo!, e colaborou nas revistas Placar, Trivela e Fut! Lance. Está na imprensa esportiva há 28 anos por ser torcedor há 52. Torce por um jornalismo sério, mas corneta o jornalista que se leva muito a sério

Sobre o Blog

O blog fala, vê, ouve, conta, canta, comenta, corneta, critica, sorri, chora, come, bebe, sofre, sua e vive o nosso futebol. Quem vive de passado é quem tem história para contar. Ele tem a pretensão de dar reload no que ouvi e li e vi e fazer a tabelinha entre passado e presente para dar um toque no futuro.

Blog do Mauro Beting